segunda-feira, 23 de junho de 2014

Provando do próprio veneno
    É fácil imaginar como DIlma se sente com as manifestações contra seu governo. Afinal, ninguém em sã consciência há de negar que o Brasil de 2014 é muito melhor do que o Brasil de 2003 quando Lula tomou posse. Também são irritantes para qualquer ser que consiga pensar sem antes precisar ler postagens do Facebook os "argumentos" e os métodos que vêm sendo usados para atacar o Governo.
    No entanto, é claro também que o PT está provando do próprio veneno. E não me refiro aqui a seus atos no Governo. O partido está colhendo o que plantou quanto era oposição. Essa balela de que futebol e Rede Globo alienam, de que o dinheiro gasto com a Copa poderia ir para a saúde é invenção do próprio PT quando estava na oposição. Não reconhecer o esforço do adversário também é coisa do PT.
    Antes de chegar ao poder, o PT se arvorava em desconstruir a Copa do Mundo. Seus militantes, boa parte disfarçada sob a identidade secreta de professor de História, Filosofia e Educação Física, martelavam na cabeça dos alunos que a Copa era apenas um artifício para ludibriar o povo. Lembram do velho clichê "sobra circo e falta pão"? Lembram que o partido se dizia contra "tudo o que está aí"? Lembram de quando o presidente Fernando Henrique lançou o Plano Real e o PT proibiu que seus filiados se manifestassem a favor do pacote? Diziam que era mais um "estelionato econômico" e que como o Plano Cruzado, logo naufragaria. A ex-prefeita de São Paulo Luíza Erundina foi expulsa do partido porque apoiou o governo Itamar Franco em um momento delicado do país, pós-impeachment.
    Podemos dizer que essa onda de  gente raivosa contra  a Copa e contra "tudo o que está aí" é fruto de um efeito retardado da pregação do PT quando oposição. Com um delay de 20 anos, finalmente o "filho do trabalhador" entendeu o recado e encontrou no Facebook o ambiente ideal para manifestar sua cultura de almanaque. É óbvio que vários problemas do Brasil, como a corrupção são muito mais profundos e não podem ser resolvidos com a mera mudança do morador do Palácio do Alvorada. É claro que para combater a corrupção, o "filho do trabalhador" e toda a gente deste país terão de se policiar. Terão de valorizar a educação formal, terão de se conter antes de comprar cateira de motorista, roubar internet e TV a cabo do vizinho ou comprar tênis falsificado. Terão de aprender a votar, a defender o patrimônio público e a liberdade de expressão, antes de sair quebrando tudo o que está pela frente ou atacando a imprensa em manifestações sem motivo que não seja postar selfies no Facebook...
      Portanto, se quiser mais quatro anos em Brasília, o PT de 2014 terá de desconstruir o PT de 1994. O que não é difícil, uma vez que contra clichês e chavões, o partido tem oito anos de obras e serviços importantes para mostrar. Inclusive a popularização da internet e do ensino superior, que permitiu aos jovens ter acesso aos meios intelectuais e materiais para criticar o próprio PT.